Desativar Preloader

Veículos 0KM: Agronegócio e até pandemia aceleram retomada nas vendas


Grande parte da retomada está ligada ao segmento de agronegócio.

Em agosto, o setor de veículos novos reagiu acima da expectativa no Brasil. Em Mato Grosso não é diferente. Grande parte da retomada está ligada ao segmento de agronegócio. A própria crise provocada pela pandemia do novo coronavírus contribuiu para aquecer alguns segmentos. 

Os dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) destacam aumento de 33,97% nas vendas de agosto. Enquanto em julho emplacou-se 6117 unidades, em agosto foram 8195, contabilizando todos os segmentos (Automóveis e comerciais leves, caminhões, ônibus, motos, implementos rodoviários e outros). Subiram o segmento de automóveis e comerciais leves (13,07%); ônibus (130,77%) e motos (83,99%) e outros (82,79) que incluem máquinas agrícolas.

Por exemplo, as vendas de máquinas agrícolas têm sido impulsionadas pelos números positivos do agro. Já o setor de motos é movimentado pelas compras destinadas à entregas delivery com clientes motoboy e frotistas. Estes dois setores ajudaram a elevar o percentual de vendas total. 

Para o concessionário e diretor da Fenabrave-MT, Claudio Bagestan, do Grupo Vianorte (várias marcas), a melhora está ligada à retomada do comércio e ao restabelecimento dos estoques. Ele pontua que a demanda ainda não é favorável e que as vendas represadas influenciam nos números positivos. “Em nossa visão, o alto valor agregado dos produtos agro e obras federais estaduais e municipais fazem o mercado ter sinais positivos, mas diante de um período de extrema perda de receitas e vendas”, explica.

Para Ronan Alves, diretor do Grupo Mônaco (concessionária Honda) e diretor representante do segmento de motos da Fenabrave-MT, os dados poderiam ser ainda melhores. Em sua opinião, nem todas as motos que são vendidas são emplacadas. Ele enfatiza também a retomada dos estoques, já que as montadoras paralisaram as atividades de março até maio, o que gerou demanda reprimida. “O número não é real em sua totalidade e também houve mudança do modal de entrega de produtos, onde motoboys e frotistas adquiriram mais veículos e ainda esperam a disponibilidade de estoque”, esclarece.

Se o grande impulso está no agronegócio, o diretor Ovídio Zanquet, da Terra Premium Comércio de Máquinas Agrícolas (concessionária New Holland), se mostra motivado, embora as margens de vendas não acompanhem os números positivos. Ele explica que o mercado está competitivo e existe até mesmo a preocupação com a entrega dos pedidos. “A demanda que surge para hoje precisa aguardar. As margens de lucros não acompanham porque há forte concorrência e seguidas altas no câmbio”, avalia.

Mais números

Segundo o balanço da Fenabrave, com relação às vendas no ano passado, houve redução de 10,63% em todos os segmentos. No acumulado do ano, a queda ainda é expressiva (-26,48%). No acumulado do ano, o registro é de queda em todos os segmentos. Para o diretor da Fenabrave Regional Mato Grosso, Paulo Boscolo, as vendas ainda são impactadas pela pandemia, principalmente, pela insegurança de compra do consumidor. "O prognóstico do segmento automobilístico local é de que o 2º semestre será favorável para vendas, mas existe ainda a preocupação com a crise na economia", pondera Boscolo.

Confira como foram as vendas em todos os segmentos na tabela abaixo. 

Simone Alves
Ass. de Imprensa
 

.


Data: 03/09/2020
Autor: Fenabrave-MT/Sincodiv-MT